Você está em: Cursos Gratuitos > Biologia > DNA e RNA – Ácidos Nucléicos

DNA e RNA – Ácidos Nucléicos

Muita gente ouve falar no DNA, mas as pessoas ainda confundem um pouco os conceitos que a sigla representa e também a diferenciação entre o RNA. O DNA é representado sempre por uma fita, sendo que estas fitas são formadas por uma substância química orgânica denominada ácido desoxirribonucleico. Para entende melhor o papel do DNA na nossa vida, eles representam uma espécie de código. Fica dentro destas fitas todas as informações relativas aa características físicas e comportamentais da pessoa. Ou seja, é como se fosse uma receita de bolo descrevendo quais ingredientes e qual ordem deve ser seguida para que a pessoa nasça.

Essas fitas de DNA, localizadas no núcleo das células, se esticadas medem cerca de 2 metros de comprimento. Portanto, para caber em uma célula, o DNA é enrolado muitas vezes e forma uma estrutura denominada cromossomo. Cada célula do nosso organismo possui 46 cromossomos, sendo que 23 recebemos de nosso pai e 23 de nossa mãe. Nos cromossomos, além das porções que codificam proteínas, temos regiões que, até onde se sabe, não codificam nada. Nessas porções, o DNA é formado por pedaços idênticos que se repetem inúmeras vezes, ou seja, um fragmento de DNA que tem várias cópias arranjadas uma em seguida a outra.

 

Algumas pessoas pensam que o RNA e o DNA são as mesmas coisas, e os organizadores das provas de vestibular e também de concursos sabem desta confusão que muitos estudantes fazem e se aproveitam disso para fazer diversas questões sobre estas duas siglas. O RNA é formado pelo ácido ribonucléico. O processo de produção de uma molécula de RNA a partir de uma molécula de DNA é chamado de transcrição. A produção de proteínas é feita por comandos do RNA, e este processo é chamado de tradução.

O processo de transcrição se dá da seguinte forma: A cadeia de DNA é separada através de enzimas que promovem a quebra das pontes de hidrogênio. Quando as hélices estão separadas, uma enzima chamada RNA polimerase une-se a uma das extremidades da fita, pois apenas uma fita é copiada, e segue pela cadeia, formando os pares: A->U e C->G. Ao término do processo, a molécula de RNA se desprende e as fitas de DNA voltam a se unir.

O começo e o fim de uma cadeia são limitados por sequências específicas de gene, reconhecidas pela polimerase.

TEMOS MAIS ARTIGOS PARA VOCÊ:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *